Resina

As resinas, óleo-resinas e bálsamos são exsudados pelos caules e raízes de arbustos e árvores. As resinas normalmente são sólidas e os bálsamos, líquido-viscosos. As plantas produzem resinas por várias razões: cicatrizam as feridas da planta, matam insetos e fungos, por causa de sua viscosidade, prendem os insetos, impedindo que perfurem a casca de seu tronco. Exemplos de resinas que exsudam de vegetais são: copaiba, olibano, mirra, bálsamo do peru e bálsamo de tolu.
    
As seivas nas plantas equivalem ao sangue em nosso corpo, pois circulam por toda a planta para alimentar as células. Encontramos a seiva nas plantas vasculares nos canais de resina. Servem também de alimento para algumas espécies de insetos. Exemplos de seivas que exsudam dos vegetais: sangue de dragão, látex da seringueira usado na fabricação de borracha, seiva da cana-de-açúcar donde extrai-se o açúcar,  seiva de janaúba, de mutamba e de babosa.   Na aromaterapia, as resinas e seivas podem ser utilizadas sozinhas ou em conjunto com óleos essenciais, vegetais, cremes, loções e outros preparados cosméticos e fitoterápicos.

Possuem propriedades terapêuticas diversas individuais, podendo ser anti-inflamatória, antisséptica, antioxidante, cicatrizante dentre outras funções.